Publicidade
/ Gospel / POKÉMON: ?DEMÔNIO DE BOLSO?, CONSIDERADO O JOGO DIABÓLICO DA NOVA ORDEM MUNDIAL
Imprimir notícia

Tamanho da letra

08/08/2016 às 17:28 por Gospel
POKÉMON: ?DEMÔNIO DE BOLSO?, CONSIDERADO O JOGO DIABÓLICO DA NOVA ORDEM MUNDIAL
Alerta! Considerado o jogo diabólico da nova ordem mundial
créditos: Canal Gama

O nome Pokémon significa ?Demônio de Bolso?. Em 1995 foi lançado no Japão um Video-Game chamado ?Pokémon?. Por causa da febre no país resolveram criar um desenho animado com o mesmo nome. A partir daí, os personagens do desenho começaram a ser vendidos dentro de salgadinhos. Crianças de todas as idades passaram a andar com estes em mãos e assistiam os desenhos, pronunciando frequentemente o nome Pikachu, Charmander, JigglyPuff, e seus 150 Pokémons. Ai vem a pergunta: Onde guardamos os bonequinhos de Pokémon quando queremos guarda-los conosco? Claro que é no bolso! OS DEMÔNIOS SÃO OS POKÉMONS E POR ISSO SE CHAMAM ?DEMÔNIOS DE BOLSO?.

Outro significado estranho de nome é o do Pikachu, que significa ?Monstro Destruidor?.

Muitas igrejas neo-pentecostais dos Estados Unidos (mas também de outros países como Brasil) acreditam que Pokémon é uma série satânica, embora o tema religião nunca tenha sido mencionado na série. As ?conexões? mais comuns que essas comunidades apresentam entre Pokémon e o satanismo são:

  • Pokémons seriam demônios, são capturados e invocados para fazer o mal.
  • As Insígnias de Ginásio seriam talismãs mágicos que servem para controlá-los.
  • Alguns Pokémons, como Murkrow e Darkrai, representam bruxas, fantasmas e demônios.

Mas não são apenas igrejas evangélicas que criticam a série. Judeus criticam o TCG por usar a suástica em algumas cartas. O Papa João Paulo II também já criticou Pokémon, alegando que viola a criação segundo a Gênesis. Em um pronunciamento em 2000, alegou que Pokémon seria apenas fruto de uma ?imaginação fértil? e que não haveria problema em sua existência e ainda aprovou a série. Outra crítica quanto à religião foi no México, onde um padre planejou uma queima de vários objetos da série, mas desistiu.

Pokémon também recebe críticas relativas aos maus tratos de animais. O mecanismo principal da série, as batalhas, são comparadas com brigas de galo. Dessa maneira, treinadores capturariam e fariam os Pokémons batalharem até a morte. Outros também dizem que isso encoraja as crianças a fazerem crueldades com os animais e a apostarem ilegalmente.

Não falamos sobre algumas, mas milhões de pessoas, adultos e crianças, que saem às ruas como se fossem zumbis reais, sem tirar os olhos de seus smartphones. Estão sempre olhando para Pokemon, criaturas estranhas, que começaram a conquistar os corações de milhões de pessoas no ano de 1996. 

Este aplicativo de Pokémon serve para fazer com que essas criaturas interajam com objetos físicos do mundo real. E como já vimos, pode aparecer em qualquer lugar, um Diglett espiando um vaso sanitário, um demônio chamado Ponyta nas ruas, um Doduo em um escritório, e uma lista interminável. Mas tudo isto não só serve para fazer com que todos se divirtam desde que após o seu lançamento, em 6 de julho, o jogo se tornou um fenômeno global viral, mesmo colocando para fora todos os usuários ativos do Twitter em um único dia.

Tornou-se o jogo mais rentável do Google Apps e da Play Store. As ações da Nintendo subiram 25% em um dia e teve outro aumento de 13% no dia seguinte. Pode ser o jogo mais bem sucedido que usa alta tecnologia de realidade e combina o mundo digital com o real. Mas não é ouro que reluz, desde que uma vasta conspiração global está escondida atrás deste jogo. Acredita-se que o objetivo de tal jogo é controlar adolescentes e crianças além de roubar dados de milhões de usuários. Mas, o pior é que ele está criando um exército a serviço da nova ordem mundial. 

Veja matéria do Jornal Nacional  de 1997 sobre crianças que passaram mal vendo o desenho:

https://www.youtube.com/watch?time_continue=56&v=C94Hwajqf4Y



Espalhe por aí


Comentários
Deixe seu comentário